“O que ficou para trás, tinha que ter ficado.”
— Tati Bernardi.
Quem é feliz não conta, não espalha, não grita aos quatro cantos. Quem é feliz, satisfaze-se por ser. E sabe que felicidade anda coladinha na inveja. Quem é feliz não precisa provar nada, simplesmente é. As pessoas felizes demais nunca me passaram confiança. Essa coisa de que a vida é uma festa e não existe nada errado, não me brilha aos olhos. Feliz é quem conhece o lado ruim e o respeita. Feliz é quem já foi infeliz. Somente quem já foi infeliz pode entender que a tristeza traz um punhado muito bom de aprendizados. Felicidade não é sobre quem grita mais alto; É sobre quem sorri mais fundo.

Clarissa Corrêa. (via romanteios)

d-a-l-t-o-n-i-s-m-o:

.

Eu acredito em Deus. Eu acredito que beijar arranca sorrisos. Eu acredito que risadas curam dores. Eu acredito que abraços confortam. Eu acredito que há dias melhores. Eu acredito que também há dias piores. Eu acredito que existe choro de tristeza. Eu acredito que assim como existe choro entristecido, existe o choro feliz, da felicidade. Eu acredito que dormir faz bem. Eu acredito em milagres. Eu acredito em anjos. Eu acredito que pessoas podem ser anjos. Eu também acredito que pessoas podem ser demoníacas. Eu acredito em dias pós outros. Eu acredito que cafuné é o melhor carinho para carência. Eu acredito que o ato de andar de mãos dadas selam dois destinos. Eu acredito que mordidas são formas de carinho. Eu acredito em sonhos. Eu acredito que sonhos podem se tornarem pesadelos. Eu acredito que acreditar é uma maneira de atrair positividade. Eu acredito que a escuridão é o mal uso da Fé. Eu acredito que a chuva lava a alma. Eu acredito que a água purifica um ser. Eu acredito que amizade é uma dádiva. Eu acredito que o amor tanto cura como destrói. Eu acredito que cada um tem sua vida e determina suas escolhas, para o bem ou para o mal. Eu acredito que cada um opta um jeito para acreditar ou desacreditar, por fim, eu acredito que cada pessoa determina o seu modo de sobrevivência, sendo o melhor ou o pior.

A Escritora de Bar. (via romanteios)

Quem diria aquela que menos demonstrava era a que mais sentia

Eu não preciso chorar para mostrar que estou triste. Nem gritar para dizer que sinto dor. Muito menos sorrir para Deus e o mundo para provar que sou feliz. Não preciso aparentar para ser, demonstrar para estar. Meu mundo acontece aqui dentro. E ele não é menor ou maior que o seu: é simplesmente o meu. Ele é meu com todas as letras, ele é meu em cada palavra, com todos os silêncios, com todos os incêndios. Eu ouvi meu choro, eu escutei meu grito, eu senti minha dor e eu gargalhei em paz sem precisar invadir o seu mundo com coisas tão minhas, com coisas tão lindas, com coisas tão findas que se repetem infinitamente: aqui dentro.

Eu me chamo Antônio. (via distanciarei)

Quando eu tinha 5 anos, minha mãe sempre me disse que a felicidade era a chave para a vida. Quando eu fui para a escola, me perguntaram o que eu queria ser quando crescesse. Eu escrevi ‘feliz’. Eles me disseram que eu não entendi a pergunta, e eu lhes disse que eles não entendiam a vida.

John Lennon.   (via alentador)

Gostava mais quando conseguia imaginar grandeza nos outros, mesmo que nem sempre houvesse.

Charles Bukowski.   (via alentador)


@ acumulou